Presidente da Conmebol crê que Libertadores será reiniciada em 6 de maio

Compartilhe

Reprodução/GrêmioO Grêmio bateu o América de Cali na Colômbia

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, afirmou na última terça-feira que acredita que a Copa Libertadores, interrompida devido à pandemia do novo coronavírus, poderá voltar a ser disputada no dia 6 de maio.

“A Taça Libertadores, na melhor das hipóteses, voltaria no dia 6 de maio, sendo otimista e sujeito à situação de cada país no futuro próximo. Entendemos que são realidades diferentes e que cada país tem diferenças. Saúde em primeiro lugar, sempre”, disse o dirigente paraguaio à emissora “Fox Sports” argentina.

A Libertadores foi interrompida na última quinta-feira com o empate no clássico entre Grêmio e Internacional em 0 a 0, válido pelo grupo E e que teve confusão generalizada, com quatro expulsões para cada lado.

“Estou otimista. Há tempo de que durante este ano o calendário da Libertadores e do Campeonato Sul-Americano seja ajustado, com o desejo de não influenciar na forma de disputa dos torneios”, acrescentou.

O presidente da entidade máxima do futebol sul-americano confirmou que a Copa América será realizada na Colômbia e na Argentina em 2021 e lembrou que a Fifa é responsável por anunciar as datas das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022, no Catar. “Nós somos apenas mediadores. Nós propomos, mas a Fifa executa. Os nossos calendários têm de ser unificados”, destacou.

*Com informações da EFE