Eleições europeias entram no último dia de votações; saiba o que está em jogo – Notícias do Amanhã

Eleições europeias entram no último dia de votações; saiba o que está em jogo

Compartilhe

Partidos nacionalistas devem ganhar mais força no Parlamento Europeu. Entenda como funciona a votação.

Eleitor vota na Letônia nas eleições para o Parlamento Europeu — Foto: Ints Kalnins/Reuters

Eleitor vota na Letônia nas eleições para o Parlamento Europeu — Foto: Ints Kalnins/Reuters

Eleitores de 21 dos 28 países da União Europeia redesenham neste domingo (26) a configuração do Parlamento Europeu. Os outros sete integrantes já votaram – entre eles, o Reino Unido, que está de saída do bloco. A divulgação dos resultados parciais está programada para ainda esta noite.

Nas eleições europeias, cada país tem direito a eleger um número de parlamentares definido proporcionalmente pelos tamanhos das populações. Veja abaixo como funciona:

Eleições europeias - infográfico — Foto: Betta Jaworski/G1

Brexit em pauta

'Retome o controle de nossas leis monetárias e acordos de fronteira', diz cartaz fixado em janela de Altrinchan, no Reino Unido. Manifestantes pró-Brexit pedem saída da União Europeia sem acordo — Foto: Phil Noble/Reuters

‘Retome o controle de nossas leis monetárias e acordos de fronteira’, diz cartaz fixado em janela de Altrinchan, no Reino Unido. Manifestantes pró-Brexit pedem saída da União Europeia sem acordo — Foto: Phil Noble/Reuters

São as primeiras eleições europeias desde o referendo sobre o Brexit em 2016. Porém, mesmo que os britânicos tenham decidido dar as costas à União Europeia, o Reino Unido foi obrigado a participar do pleito deste ano quando decidiu adiar a saída do bloco para, no máximo, outubro – antes, o prazo estava marcado para março.

Manifestante protesta contra o Brexit em frente ao Parlamento britânico em Londres — Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters

Manifestante protesta contra o Brexit em frente ao Parlamento britânico em Londres — Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters

As pesquisas indicavam que o Partido da Independência (Ukip, na sigla em inglês) conquistaria a maior parte das cadeiras britânicas do Parlamento Europeu. Trata-se justamente da legenda que liderou a campanha a favor do Brexit, com discurso duro contra as atuais políticas migratórias e financeiras do bloco.

Segundo o “The Guardian”, o resultado, se confirmado, representará uma dura derrota ao tradicional Partido Conservador, às voltas com o processo de retirada da União Europeia. O cenário de indefinição derrubou a primeira-ministra Theresa May do cargo e irritou os eleitores favoráveis ao Brexit, que devem, então, migrar o voto para o Ukip.

Entre ‘eurocéticos’ e ambientalistas

Marine Le Pen, do partido nacionalista Reunião Nacional, pede votos contra a coalizão de Emmanuel Macron nas eleições europeias — Foto: Philippe Huguen/AFP

Marine Le Pen, do partido nacionalista Reunião Nacional, pede votos contra a coalizão de Emmanuel Macron nas eleições europeias — Foto: Philippe Huguen/AFP

O movimento cético quanto ao papel atual da União Europeia deve levar grande número de assentos em países considerados chave para o bloco, como a França. Ainda que o movimento dos “coletes amarelos” tenha se enfraquecido, a coalizão de Emmanuel Macron deve eleger menos deputados do que o partido nacionalista Reunião Nacional.

Os partidos chamados “eurocéticos” – na maioria das vezes conservadores – tendem a questionar a atuação do bloco em relação à imigração, legal ou ilegal. Tais grupos também pedem menor ingerência das instituições europeias nas questões nacionais. Alguns ainda defendem que seus países deixem a União Europeia, assim como fez o Reino Unido.

Manifestantes pedem 'um planeta limpo' durante protesto ambientalista em Berlim, na Alemanha, na sexta-feira (24) — Foto: Markus Schreiber/AP Photo

Manifestantes pedem ‘um planeta limpo’ durante protesto ambientalista em Berlim, na Alemanha, na sexta-feira (24) — Foto: Markus Schreiber/AP Photo

Do lado dos pró-europeus, a pauta ambiental ganhou força nestas eleições. Na Irlanda, onde as urnas já fecharam, as projeções indicam mais cadeiras para o Partido Verde no Parlamento Europeu.

Além disso, protestos na sexta-feira no continente cobraram das autoridades maior atenção às mudanças climáticas. Os partidos pró-União Europeia e os ambientalistas acreditam ser papel do bloco estabelecer normas para diminuir a emissão de poluentes.

Quais são os grupos de partidos?

Plenário do Parlamento Europeu — Foto: Reuters/Vincent Kessler

Plenário do Parlamento Europeu — Foto: Reuters/Vincent Kessler

Trata-se de uma eleição internacional: além dos interesses em comum da União Europeia, os eleitores votam de acordo com as pautas de seus respectivos países. Por isso, partidos e políticos de linha programática semelhante se aliam em grupos dentro do Parlamento Europeu. Conheça os oito maiores:

  • EPP – Partido Popular Europeu (Democratas-Cristãos)

A aliança reúne os mais tradicionais partidos de orientação liberal-conservadora da Europa, como o CDU da chanceler da Alemanha, Angela Merkel. Pró-União Europeia, o grupo deve manter a liderança no número de cadeiras no Parlamento Europeu – mas deve sofrer derrotas e encolher em relação à legislatura anterior.

  • S&D – Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu

Segunda maior força do Parlamento Europeu, a coalizão integra os maiores partidos de orientação social-democrata dos países da Europa. Legendas como o PSOE, da Espanha, e o Partido Trabalhista, do Reino Unido, fazem parte do grupo.

  • ALDE – Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa

Integra os partidos e políticos liberais europeus favoráveis à União Europeia. O República Em Marcha, de Emmanuel Macron, é um deles, assim como o Ciudadanos, nova força eleitoral da Espanha. Deve se manter como a terceira força parlamentar.

  • ECR – Conservadores e Reformistas Europeus

É o maior e menos radical dos grupos considerados “eurocéticos”. Abriga o Partido Conservador britânico, o mesmo de Theresa May, enquanto também integra siglas nacionalistas como o Lei e Justiça, da Polônia, e o Partido dos Finlandeses.

  • ENF – Europa das Nações e da Liberdade

O grupo alia dois dos maiores partidos nacionalistas e conservadores da Europa: o Reunião Nacional, da França, e o Liga, do ministro do Interior italiano, Matteo Salvini. Projeções indicam que a aliança chegará perto de dobrar o número de cadeiras e se tornar uma nova força do Parlamento Europeu.

  • EFDD – Europa da Liberdade e da Democracia Direta

É o mais cético em relação à União Europeia entre as alianças nacionalistas. O estatuto do grupo se posiciona contra o Euro como moeda única e advoga por formas de democracia direta paralelas ao bloco. O Ukip, conhecido como o partido do Brexit, está nesta aliança.

  • Greens/EFA – Verdes/Aliança Livre Europeia

Aliança entre os partidos e políticos ambientalistas e liberais da União Europeia. Tem chances de ganhar novas cadeiras com as recentes manifestações contra as mudanças climáticas.

  • GUE/NGL – Grupo Confederal da Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Nórdica Verde

Além dos partidos comunistas da França e de Portugal, a aliança tem o Syriza, sigla esquerdista majoritária na Grécia. Apesar de manter posições bastante céticas quanto ao sucesso da União Europeia, os partidários se colocam como oposição dos nacionalistas.

Composição do Parlamento Europeu — Foto: Infografia: Diana Yukari/G1

Composição do Parlamento Europeu — Foto: Infografia: Diana Yukari/G1

Qual o papel do Parlamento Europeu?

O Parlamento é a única instituição da União Europeia eleita pelo voto e funciona em conjunto com outros órgãos do bloco. As leis, por exemplo, passam pelo Conselho Europeu e pela Comissão Europeia antes de chegarem aos parlamentares em Estrasburgo, na França.

Além do poder de codecisão – ou seja, vetar ou propor emendas a uma lei – o Parlamento Europeu é responsável por determinar o orçamento e supervisionar as instituições europeias. Os parlamentares também determinam os chefes das outras entidades do bloco.