César Menotti diz não gostar de ser gordo: ‘Faço piadas para levar com bom humor’

Compartilhe

Reprodução/InstagramCésar Menotti e Fabiano participaram do Pânico nesta terça-feira (30)

O cantor César Menotti, da dupla com Fabiano, explicou, em entrevista ao Pânico nesta terça-feira (30), a nova fase como humorista. O músico vem chamando atenção por piadas nas redes sociais e chegou a ser acusado de gordofobia.

O sertanejo disse que começou a interagir mais nas redes sociais durante a pandemia da Covid-19 por causa da falta de shows. “Mas tem gente que já está se incomodando”, lamentou.

Ele justificou as piadas envolvendo gordos e disse que essa a forma que ele encontrou para lidar de bom humor com uma característica própria que não gosta. “Eu não quero dizer que gosto de ser gordo, tento emagrecer, vou pra academia, faço dieta, mas não consigo. Enquanto não chego ao peso ideal, vou levando isso com bom humor”, explicou.

Uma das pessoas que não curtiram as piadas de César Menotti foi Dado Dolabella. O ator, que é vegetariano, criticou o cantor por uma fala sobre bacon. “Ele pegou ar, mas está superado”, disse. “Ele brigou sozinho, não briguei com ele.”

Para Fabiano, mesmo em relação às piadas, é preciso ter respeito. “Você pode não gostar do que o outro escreveu, mas precisa ter respeito”, disse sobre as piadas do irmão, mas ressaltando que ele é mais sério.

Apesar das brincadeiras, a dupla garantiu que o humor vai ficar só nas redes sociais. “Para a música, acho que a gente não teria essa vibe”, disse César Menotti.

Paralisação

Por conta da pandemia, César Menotti e Fabiano estão longe dos palcos. A dupla explicou que estava de férias em janeiro e fevereiro, e a quarentena começou em março. “Nós ficamos cinco meses parados e essa ficha só caiu agora”, admitiu César Menotti.

Os sertanejos fizeram apenas um show neste ano. “A gente não se adaptou a essa mudança. A nossa equipe depende que o show aconteça para sobreviver”, desabafou o cantor.

Enquanto isso, César Menotti e Fabiano apelam para as lives. Além de matar a saudade dos fãs, eles também estão arrecadando doações durante as transmissões. “Tem sido muito interessante”, disse Fabiano. Entretanto, não é a mesma coisa que fazer shows. “O faturamento caiu muito”, reconheceu César Menotti. “Nem compara com a catraca rodando.”